Looks, Moda

Au revoir 2015!

A revista Vogue listou quatro tendências históricas, consolidadas em diferentes épocas, mas que ganharam as passarelas em 2015. Mesmo na atualidade, muitas grifes renomadas vasculham o passado no momento de criar, o que é muito interessante e soa como truques de styling, com novos tecidos e releituras mirabolantes.

“A linha é tênue e a mudança, brusca: de 1815 até o início do século 20, babados tiveram suas curvas modificadas, golas subiram e desceram nos pescoços de quem as vestia, mangas a princípio inexistentes em decotes ombro a ombro nasceram e dobraram de tamanho, partes de baixo ganharam volumes fluidos, e por aí vai”.

mariaantonieta3

Confira a lista abaixo das “trends históricas”!

Foco nas golas, rendas e babados: 

Cintura marcada, babados na parte de cima e golas altas e cheias de volume: na era eduardiana, época em que as silhuetas em “S” eram trend absoluta, a moda reinava com rendas, plissados, bordados, jacquard (ou brocado) e peças com muito volume; tanto nas partes de cima como nas saias. Em um apelo mais sensual e menos regado de exageros, a Altuzarra aposta em poucas camadas, tornando a referência mais clean e menos prominente. Diferente do duo  Maria Grazia Chiuri e Pier Paolo Piccioli, da Valentino, que seguiram à risca os excessos e farturas dos detalhes da época.

looks-babados_2Da esquerda para a direita: Alberta Ferretti (inverno 2015); Philosophy di Lorenzo Serafini (inverno 2015); Alberta Ferretti (inverni 2015) (Foto: Divulgação)

looks-babados_1

Da esquerda para a direita: Zimmermann (verão 2016); Altuzarra (inverno 2015); Philosophy di Lorenzo Serafini (inverno 2015) (Foto: Divulgação)

Mangas bufantes:

A versão atualizada das mangas vitorianas não se limite apenas à manga: suéteres como na Miu Miu, casacos da Balenciaga e a concentração do volume no pulso, como visto na Erdem, tornam qualquer produção simples em uma avalanche de romantismo e, claro, muito poder.

looks-babados_7Da esquerda para a direita: Miu Miu (inverno 2015); Simone Rocha (verão 2016); Balenciaga (inverno 2015) (Foto: Editora Globo)

Decote ombro a ombro:

O decote ombro a ombro fisgou grande parte das grifes. Formato delicado e ainda sim, aspecto ultrasensual. J. Crew, Balmain, Proenza Schouler e Sonia Rykiel foram apenas algumas das grifes que desfilaram uma das maiores tendências da era romântica no ano de 2015.

looks-babados_3Da esquerda para a direita: Sonia Rykiel (verão 2016); J. Crew (verão 2016); Guy Larouche (verão 2016) (Foto: Divulgação)

Influência latina:

Muito semelhantes aos trajes das dançarinas de flamenco, dança espanhola surgida em meados do século 16, saias fáceis e ricas em babados  cruzaram as passarelas de 2015, carregando o mesmo movimento e paixão que a dança proporciona. A vivacidade dos tons da Balmain, o lado clean de Proenza Schouler e a riqueza dos recortes no inverno da Chanel.

looks-babados_5Da esquerda para a direita: Michael Kors (verão 2016); Salvatore Ferragamo (verão 2016); Michael Kors (verão 2016) (Foto: Editora Globo)

looks-babados_6Da esquerda para a direita: Balmain (verão 2016); Chanel (verão 2016); Balmain (verão 2016) (Foto: Divulgação)

Fonte e imagens: http://vogue.globo.com/ (CAMILA PADILHA)

Comentar pelo facebook
0 comentários